Tecnologia e Inovação

Quais são as 11 ferramentas inovadoras que toda empresa precisa conhecer

Inovação é a criação de criação ou renovação de processos existentes a fim de solucionar um problema do público-alvo. Ela é central para a diferenciação de negócios no mercado e, por isso, o uso de tecnologia e ferramentas inovadoras é central para ela ser feita de maneira bem-sucedida. Conheça as principais metodologias e soluções tecnológicas para projetos inovadores.

Escrito por Felipe Maia em 12 jan 2023 | Atualizado em 12 jan 2023

15 minutos de leitura

Netshowme

Compartilhar no FacebookCompartilhar no FacebookCompartilhar no Twitter

Seja no contexto de mercado saturado, em que um segmento ou produto atingiu nível máximo de crescimento, ou até de concorrência crescente, o uso de ferramentas inovadoras como o streaming de vídeos é central para qualquer empresa que quer ter êxito nos negócios.

Não à toa, um estudo da Sitel Group aponta que o uso de soluções inovadoras e a digitalização de processos é prioridade para 96% dos executivos. Ou seja, não procurar mudanças de paradigma fará com que sua empresa fique para trás da concorrência.

Neste artigo, você saberá como o conceito de inovação impacta no crescimento das empresas e quais as 11 ferramentas de inovação que todo empreendedor precisa conhecer. Vamos nessa?

O que é inovação e como ela impacta no crescimento das empresas?

Explicando de maneira simples, o conceito de inovação consiste na criação de algo novo ou renovar algo que já existe, trazendo novas funcionalidades a fim de resolver um problema do público-alvo. Segundo o economista Joseph Schumpeter, trata-se da força motriz do crescimento econômico,  o que, segundo ele, é uma destruição criativa.

Sua execução é baseada no conhecimento prático, técnico ou científico, além da implementação e criatividade. Existe mais de um tipo de inovação, entre elas a empresarial — que é a criação de um produto ou processo que se diferencia dos já existentes.

Além disso, há a inovação de produto ou serviço, que aprimora uma solução já existente com novas funcionalidades que a diferenciam do que está disponível no mercado. Já as atividades de inovação são todas as que são feitas para criar um projeto inovador.

Para completar, a inovação de processos é a criação de metodologias de negócios novos ou aprimoramento dos já existentes. Dessa forma, eles precisam ser diferentes dos já utilizados anteriormente na empresa.

Como o mercado está cada dia mais competitivo, a busca pela inovação nas empresas se tornou a nova corrida espacial. Afinal, ela oferece uma vasta gama de benefícios que ajudam a desenvolver o negócio e transformar ideias em receita.

Entre eles está a adaptabilidade às circunstâncias do mercado. Tal resiliência é crucial para encontrar soluções rápidas a mudanças de comportamento mercadológico e situações inesperadas.

Outra vantagem é que uma cultura de inovação facilita na resolução eficaz de problemas. Dessa forma, a criação de soluções se torna mais ágil e facilita o cotidiano da empresa. Isso também permite a ampliação dos nichos de atuação da corporação, podendo atingir ainda mais clientes.

E, é claro, o foco no cliente é um dos pilares de negócios inovadores — afinal, eles oferecem experiências que solucionam as dores do público-alvo de maneira mais efetiva. E, consequentemente, são empresas que conquistam maior notoriedade no mercado.

Por que usar ferramentas tecnológicas na inovação?

Segundo estudo da consultoria IDC Brasil, a transformação digital nas empresas gerou receita de R$ 44 bilhões em 2021. Trata-se de um aumento de 32,5% em relação a 2019, antes da pandemia de Covid-19 — fator este que acelerou a digitalização de processos.

Já uma pesquisa realizada pela Capterra constatou que o uso de ferramentas tecnológicas na inovação por empresas gera benefícios como potencialização da produtividade e eficiência do negócio, aumento de vendas, economia de recursos e melhoria nos produtos e serviços oferecidos.

Além disso, o uso de tecnologia na inovação das empresas permite a tomada de decisões mais assertivas e maior satisfação e eficiência dos colaboradores. Isso também impacta positivamente no relacionamento com os clientes e no Brand Awareness.

🎯 Confira também estes artigos que separamos para você:

Quais as principais ferramentas de inovação para empresas?

A inovação é um processo criativo que, para ser melhor implementado, pode se beneficiar de uma vasta gama de metodologias e softwares. Como todo processo disruptivo, não é uma ciência exata e cada negócio pode fazê-la de maneira própria.

No entanto, existem muitas ferramentas de inovação para empresas que tornam a criação e implementação de projetos inovadores mais eficiente, potencializando resultados. A seguir, você conhecerá as 11 principais ferramentas recomendadas pelos especialistas da Netshow.me.

1. Design Thinking

O Design Thinking pode ser definido como uma abordagem de criação de soluções focada nas necessidades do usuário. Ou seja, ela é usada para oferecer produtos ou serviços mais alinhados ao cliente final e, consequentemente, com maior qualidade.

Não à toa, trata-se de uma ferramenta de inovação em alta no mercado. Para usá-la com maior eficiência, as empresas reúnem profissionais de diversos setores e cargos para discutir como fazê-lo melhor — e, é claro, pesquisas de mercado e conversas com clientes.

Desta forma, deve-se pensar nos três pilares do Design Thinking: empatia, colaboração e experimentação.

2. Análise SWOT

A Análise SWOT é uma ferramenta de planejamento usada para avaliar a empresa, encontrando seus pontos fracos para aprimorá-los. Também conhecida como Matriz FOFA, a sigla é definida como reconhecer Forças (Strengths) e Fraquezas (Weaknesses) do negócio, vislumbrando Oportunidades (Opportunities) e Ameaças (Threats) no mercado.

Como se pode esperar, inovação e Análise SWOT caminham juntas. Afinal, ela é central para oferecer insights das necessidades do mercado e o que pode ser feito para adaptar a empresa a elas. 

3. Business Model Canvas

Criado pelo suíço Alex Osterwalder, o Business Model Canvas (BMC) é uma metodologia de elaboração de modelos de negócio. Também conhecido como Business Model Generation, essa ferramenta de inovação combina informações lógicas e emocionais para a criação do projeto.

Dessa forma, a empresa poderá fazer uma análise mais assertiva para a tomada de decisões estratégicas, avaliando elementos como proposta de valor e fluxo de receitas. Além disso, os principais parceiros, canais e recursos, estrutura de custos, atividades-chave e relação e segmentos dos clientes.

4. Mapa de Empatia

Outro recurso visual utilizado por inovadores é o Mapa de Empatia. Criado pela XPLANE, ele é usado para mostrar, de maneira prática, todas as características do público-alvo da empresa.

Assim, são usados sete campos que apresentam informações pertinentes sobre o cliente. Entre eles, dores, objetivos, opiniões sobre o negócio e os serviços do seu negócio — e, é claro, características demográficas do público.

5. Matriz de Gestão de Tempo

Já a Matriz de Gestão de Tempo é uma ferramenta de inovação focada na organização e priorização de tarefas. Criada pelo então presidente dos Estados Unidos Dwight D. Eisenhower, trata-se da divisão das atividades a serem executadas de acordo com a sua urgência, estruturando de maneira visual e ajudando na execução de projetos inovadores.

Também conhecida como Matriz de Eisenhower, ela depende dos conceitos de urgência e importância para funcionar. Enquanto o primeiro é o que possui prazo e precisa ser resolvido imediatamente, o segundo pode comprometer metas e permite maior controle na resolução.

6. Plano de Negócios em Pirâmide

Com o objetivo de ajudar a empresa a enxergar todas as áreas do negócio integradas, o Plano de Negócios em Pirâmide é uma ferramenta de grande valia para inovadores. Permite centralizar e organizar todas as informações necessárias de maneira sistêmica, facilitando o planejamento estratégico.

Entre os pontos delimitados nesse recurso estão finanças, recursos humanos, marketing e vendas, produção e operações, empresa, indústria e concorrência, mercado consumidor, produtos e oportunidades.

7. Comunidades de Prática

Reunir um grupo de pessoas com interesses e problemas em comum com o objetivo de encontrar soluções e compartilhar conhecimento. Essa é a definição das Comunidades de Prática, que são parte essencial do ecossistema de inovação.

Elas podem ser encontradas nos Hubs de Inovação, embora seja possível organizar dentro das próprias empresas ao juntar as forças de setores diferentes e pessoas com expertises diversas. Afinal, isso permitirá maior criatividade e soluções fora da caixa.

8. Prototipagem Acelerada

Criar produtos e serviços demanda a criação de protótipos — e, em alguns casos, é necessário fazê-lo de maneira rápida e de baixo custo. Desta forma, o uso da Prototipagem Acelerada facilita o processo de encontrar erros ou defeitos antes de finalizar a produção.

Ou seja, não há desperdício de tempo e dinheiro. Isso ajuda na criação de soluções inovadores de maneira mais rentável, podendo criar conceitos e fazer testes.

9. Job To Be Done

Criado pelo professor Clayton Christensen, o Job To Be Done é uma metodologia cujo objetivo é ajudar empresas a saírem do lugar-comum — ou seja, criar ideias verdadeiramente inovadoras.

Segundo ela, perguntar ao cliente o que ele quer não é suficiente para inovar. Afinal, a resposta será baseada no que já é oferecido pelo mercado. Além disso, investir só em tecnologia não é suficiente. Portanto, esta abordagem foca na dor a ser resolvida, que sempre terá dimensão social, emocional ou funcional.

10. Análise 360º da Oportunidade de Negócio

Precisa saber a viabilidade de uma ideia inovadora? A Análise 360º da Oportunidade de Negócio é uma ferramenta de gestão usada para avaliar todos os aspectos da empresa. Afinal, nem todas podem ser executadas em determinado momento, ou podem até ser falhas após análise aprofundada.

Dessa forma, o recurso reúne aspectos internos e externos em um gráfico. Quanto maior a ligação entre pontos, maior a viabilidade. Caso contrário, o ideal é repensar a ideia e encontrar pontos em que ela pode ser aprimorada, não precisando executar o projeto e desperdiçar tempo e dinheiro.

11. Plataforma de Streaming

Se engana quem acredita que plataformas de streaming são só entretenimento.

Esse mercado que, segundo estudo da Allied Market Research, atingirá o valor de US$ 1,039 em 2027, é cada vez mais usado para comunicação interna e até eventos online ou híbridos.

Seja por meio da monetização de conteúdo ou até a criação de uma plataforma de treinamento online, trata-se de uma ferramenta inovadora e com vastas aplicações.

Além disso, permite a redução de custos, a maximização de lucros e a potencialização da produtividade — o que toda inovação que se preze gera.

Quer saber como a tecnologia de streaming pode transformar negócios? Confira nosso e-book especial que mostra na prática as principais aplicações dessa solução no mercado corporativo com exemplos de 10 empresas de diferentes nichos. Baixe aqui!

New call-to-action

Sem tags cadastradas

Escrito por Felipe Maia

Copywriter especialista em SEO com mais uma década de experiência com conteúdos digitais.