Educação

Design Instrucional: o que é e porque aplicá-lo em seus materiais

Entenda o que é o design instrucional e como ele é fundamental para a construção de cursos e outros conteúdos educacionais.

Escrito por Netshow.me em 03 set 2021 | Atualizado em 06 set 2021

13 minutos de leitura

Icones © rawpixel

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter

Quando estamos aprendendo alguma coisa, é fácil prestar atenção quando somos apresentados a um conteúdo interativo, com diferentes recursos e ferramentas. Na vida profissional, também funciona parecido. Somos mais atraídos para palestras que tenham um caráter dinâmico e divertido, não é? Pois saiba que pensar em cada um desses pontos faz parte do Design Instrucional. 

Explicando: o Design Instrucional é uma metodologia para o planejamento e execução de materiais e conteúdos que busquem ensinar alguma coisa. Ele também pode ser chamado de Design Educacional. Existem diversos elementos disponíveis para tornar a nossa comunicação mais interessante e, para acertar na hora de implementá-los, é importante estudar o que funciona melhor com o seu público-alvo

Neste artigo, entenda o que é o Design Instrucional, porque ele é importante mesmo para quem não trabalha com design e como aplicá-lo na comunicação da sua empresa ou nas suas aulas. 

O que é o Design Instrucional? 

O Design Instrucional (DI) é um processo de criação de conteúdo que considera a melhor forma de organizar as informações para ensinar algo a alguém. Lembra-se dos livros e apostilas do Ensino Fundamental e Médio? Haviam muitas imagens, caixas, balões… tudo isso foi estrategicamente pensado para prender a atenção do aluno e faz parte dessa metodologia. 

O objetivo do Design Instrucional é ensinar utilizando o menor tempo possível, tornando o processo de aprendizado mais agradável. Imagine que, em uma palestra, a apresentação de slides do apresentador esteja cheia de letrinhas miúdas e você está sentado nas últimas cadeiras do auditório.

Nesse caso, você dificilmente será capaz de ler o que está escrito. Essa possibilidade irá afetar a sua experiência com a apresentação, e até sua compreensão do que está sendo explicado. Esse tipo de coisa acontece quando as melhores práticas do Design Instrucional são deixadas de lado. 

Por que é importante saber sobre Design Instrucional? 

Se engana quem pensa que entender sobre design é só para quem trabalha especificamente nessa área. Seja para criar uma apresentação do trabalho ou uma imagem para divulgar o aniversário dos filhos, o design está sempre presente nas nossas vidas. 

Para quem trabalha com comunicação, em qualquer aspecto, sua importância é ainda maior. Algumas profissões e funções que podem se beneficiar o Design Instrucional são: 

  • Profissionais de RH que precisam se comunicar com os colaboradores de uma empresa; 
  • Profissionais que trabalham com treinamento e cursos de desenvolvimento profissional; 
  • Professores de cursos livres, cursinho, escolas e Universidades; 
  • Cursos online de todos os tipos;
  • Criadores de conteúdo que desejam aumentar sua autoridade ensinando alguma temática para a sua audiência; 
  • Empresas que utilizam a estratégia de Marketing de Conteúdo para geração de leads.

Para cada um desses exemplos, há a tentativa de ensinar algo a alguém. Por isso, entender e trabalhar os elementos do design instrucional ajuda a tornar a nossa mensagem mais clara. Nesse sentido, fica evidente a importância de compreendê-lo mesmo não trabalhando exatamente com design. 

Como começar a aplicar o Design Instrucional nos seus materiais? 

O Design Instrucional (DI) pode ser compreendido como todas as ações desenvolvidas para que seja formulada uma atividade educativa. O design não se refere apenas às imagens visuais, mas a todos os elementos que estão formando aquela comunicação. Portanto, para inserir o DI no seu processo de ensino ou na sua comunicação, não se trata de modificar apenas um único item, mas um conjunto deles. 

Por isso, para aplicar a lógica do Design Instrucional no seu trabalho é necessário pensar na sua estratégia de maneira geral. Qual formato você tem usado e quais não estão sendo aproveitados? O que você está explicando está sendo compreendido? As suas apresentações de slide também comunicam algo ou são apenas ilustrações? 

Essas são algumas ideias importantes para começar a pensar no seu processo de ensino. Algumas outras questões importantes a se considerar são: 

Trabalhe seus objetivos e metas 

Quando você está se comunicando ou explicando algo a alguém, você tem um objetivo em mente. Geralmente, você deseja que a pessoa aprenda aquilo que está sendo explicado. Mas, você também pensa nos passos que está dando para atingi-la? Existe um longo caminho entre a explicação e objetivo alcançado. 

Quando temos uma meta grande, uma forma de auxiliar nosso caminho até ela é determinando pequenos objetivos pelo caminho. Portanto, para que a pessoa entenda XYZ, antes será necessário entender X, depois Y e depois Z. O Design Instrucional pode ser útil na organização dessas informações, formando os degraus até o objetivo final.

Foque na experiência do usuário

Atualmente, fala-se muito em UX, user experience, ou experiência do usuário, no ramo do design. Essa experiência vivida pelo usuário ao usar qualquer produto é muito importante. Nada mais frustrante do que baixar um app e não conseguir entender onde é preciso ir ou como usá-lo. O UX busca tornar essa experiência a mais intuitiva e agradável possível. 

Você pode fazer o mesmo nos seus conteúdos. Pensar em materiais que sejam estéticamente agradáveis e acolhedoras para o público ao qual ele se destina fará toda a diferença durante a explicação de um conteúdo ou informação. 

Estude a comunicação do seu público

Nas aulas de português da escola, a maioria dos alunos achava muito difícil ler livros antigos da literatura brasileira. A escrita é difícil e muito distante do que vivemos hoje. Então, apesar de todo o ensinamento que havia ali, existia uma barreira de comunicação difícil de ser ultrapassada. 

Por isso, é importante que você entenda como o seu público se comunica para evitar que essa barreira exista. Tente compreender o que seu público consome, quais músicas ele ouve, que filmes assiste. Assim, você poderá se aproximar mais facilmente das pessoas com as quais está se comunicando. 

Passo a passo para aplicar as técnicas do Design Instrucional 

A pesquisadora Andrea Filatro é Doutora pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo, USP, e escreveu o livro “Design Instrucional na prática”. No material, ela explica que o processo de construção do Design Instrucional mais aceito atualmente é o modelo Addie. 

Addie é a sigla para analysis, design, development, implementation e evaluation – na tradução, análise, design, desenvolvimento, implementação e avaliação. Entenda cada um desses passos: 

Passo 1: Análise

Filatro explica que essa etapa consiste em entender o problema e buscar uma solução. Aqui, é preciso determinar como será possível transformar o resultado atual no resultado pretendido. Exemplificando: digamos que você seja uma professora de cursos online de Matemática e deseja ensinar certo conceito para seus alunos. 

Antes do ensinamento, eles estão em um ponto e, depois, o objetivo é que eles de fato entendam e saibam aplicar o que foi ensinado. Então, como você irá fazer isso? Aqui podem ser definidos exemplos, atividades, propostas lúdicas ou problemas reais para serem trabalhados com os alunos para que seja possível atingir o resultado pretendido.  

Passo 2: Design 

Nessa etapa, é feito o planejamento e a organização das etapas do ensino ou da comunicação. Como isso será feito de fato, depende bastante das pessoas envolvidas, o tamanho do projeto e para quem ele se destina. Mas, de maneira geral, aqui serão definidos os passos e a sequência de ações a serem desenvolvidas. 

Para professores online, essa é a fase de decidir de que forma as aulas serão ministradas – ao vivo ou gravadas, por exemplo, e quais as atividades serão propostas para os alunos. Na comunicação corporativa, é o momento de decidir quais informações serão enviadas por e-mail e quais precisam ser repassadas ao vivo ou por vídeo. 

Passo 3: Desenvolvimento

Essa é a etapa de produção do conteúdo de fato. A pesquisadora Andrea Filatro explica em seu livro que nessa fase deverá ser feita a produção, a adaptação de recursos e materiais, além da preparação pedagógica, tecnológica e administrativa. 

Quais ferramentas você irá utilizar? Quais plataformas? Elas já estão configuradas? Qual  meio de pagamento será acertado? Como fica a emissão de notas fiscais? Quais comprovantes serão dados? Tudo isso deverá ser definido e organizado nesse momento. 

Passo 4: Implementação 

Agora, é o momento de aplicar toda a sua preparação prévia. Esta é a etapa de disponibilização do material para os alunos ou para os colaboradores da empresa. Uma forma interessante de fazer essa implementação é liberando o seu conteúdo para um grupo pequeno de pessoas, colher feedbacks rápidos e fazer adaptações se for o caso.  

Passo 5: Avaliação 

A avaliação é o momento de considerar a efetividade da sua comunicação. Os alunos interagiram como o esperado? As atividades foram feitas? Os colaboradores compreenderam a comunicação? 

Esse ponto é importante para revisar e corrigir possíveis falhas no seu processo. É isso que permitirá aprender o que funcionou e o que não deu certo para o seu público. Replique o que foi sucesso e repense o que não gerou bons resultados. 

Tenha a melhor plataforma para o seu material

Imagine definir toda a sua estratégia, estudar os melhores elementos do Design Instrucional para o seu projeto e, na hora da implementação, ser deixado na mão por uma plataforma instável? Ou não conseguir entregar todo o seu conteúdo em um mesmo local? 

Seria um problema bastante ruim, não é? Para que isso não aconteça, não se esqueça de pesquisar bastante a plataforma para hospedar o seus cursos ou para ficar responsável pela comunicação interna do seu negócio. Com a tecnologia atual, já existem opções com bastante qualidade acessíveis para todos os tipos de produtores de conteúdo ou empresas. 

Alguns pontos importantes na escolha de uma plataforma são: 

  • Diversidade de formatos suportados; 
  • Possibilidade de monetizar os conteúdos
  • Produção de relatórios de audiência;
  • Organização e categorização dos conteúdos; 
  • Design responsivo (adaptado para celulares e tablets); 
  • Plataforma white label – você pode personalizar como desejar.

Na Netshow.me você encontra todas essas vantagens e também pode contar com a melhor qualidade para a transmissão e o streaming do seu conteúdo! 

Com a tecnologia OTT (Over the top) o seu material será disponibilizado em uma plataforma própria com a sua identidade visual, com a melhor qualidade possível, garantindo a satisfação na experiência do consumidor. Além de possuir todas as funcionalidades que descrevemos acima!

Converse agora com um dos nossos especialistas e atinja um novo nível com o seu conteúdo!

Escrito por Netshow.me

Este artigo foi produzido pela equipe de especialistas da Netshow.me. Oferecemos serviços para gerenciamento, distribuição e monetização de vídeos e conteúdos online. Produzimos conteúdos com o objetivo de fazer com que você também se torne um especialista.