Tendências de Mercado

Quais as principais tendências para o futuro do EaD?

A educação à distância é uma realidade e oferece cada vez mais opções. Mas quais as principais tendências para o futuro do EaD?

Escrito por Gabriele Gonçalo em 22 dez 2020 | Atualizado em 10 ago 2021

7 minutos de leitura

Netshow.me

Compartilhar no FacebookCompartilhar no FacebookCompartilhar no Twitter

A educação à distância (EaD) se tornou uma solução cada vez mais adotada por instituições de ensino. Não à toa, um estudo realizado pelo Inep/MEC aponta que um de cada cinco estudantes brasileiros já estão matriculados em cursos neste formato.

Isso se deve à aceleração de processos de transformação digital, que trouxe novas opções de plataformas de ensino e, é claro, de maneira acessível. Afinal, os alunos podem aprender sobre qualquer assunto onde, como e quando quiserem.

Com um vasto leque de opções, é possível fazer cursos à distância dos mais diversos formatos. Neste artigo, você lerá sobre quais as principais tendências para o futuro do EaD no Brasil. Vamos lá?

Gamificação na educação

Segundo pesquisa do WePC, os jogos eletrônicos são consumidos por mais de 2,5 bilhões de pessoas no mundo inteiro. Por se tratar de uma mídia cada vez mais popular, adaptar seus conceitos ao ensino é uma tendência fortíssima – o nome disso é gamificação na educação.

Ao utilizar elementos presentes nos jogos como recompensas, metas e até socialização, é possível proporcionar uma experiência mais atrativa e enriquecedora – afinal torna o processo mais dinâmico e divertido. Assim, a gamificação é ótima para  garantir o engajamento dos alunos em cursos à distância.

Chatbots e inteligência artificial

Como o assunto é o uso de tecnologia na educação, é importante ressaltar dois recursos atrativos que ela oferece e podem potencializar o ensino: Inteligência Artificial (I.A.) e Chatbots.

Ao usar a inteligência artificial na educação, é possível ter accesso a dados completos de desempenho de cada aluno e adaptar o curso. Este processo pode ser otimizado com o uso de Machine Learning, que é a capacidade de aprendizado da I.A.

E falando sobre os já citados Chatbots, tratam-se de sistemas de conversa automatizada com o usuário. Apesar de andar de mãos dadas com a inteligência artificial, pode-se configurá-los com fluxos de automação com menor investimento

Numa plataforma educacional, é possível usar chatbots como monitores para tirar dúvidas e oferecer suporte ao aluno. Assim, dá para produzir uma trilha de conteúdos específica para orientar o usuário.

Transmissão ao vivo na educação

No ensino à distância é possível oferecer conteúdos de diversos formatos – sejam videoaulas, e-books e até podcasts. E não precisa ser material previamente gravado, pois o uso de transmissão ao vivo na educação se mostra cada vez mais atrativo.

Como o EaD transcende o espaço físico e amplia o alcance dos cursos digitais, é possível usar o alto engajamento das lives a seu favor. Ao dar aulas em tempo real, é possível tirar dúvidas e interagir com os alunos ao vivo – assim usando o principal benefício do modelo presencial.

Mobile Learning

Segundo estudo da App Annie, o Brasil é o terceiro país que mais utiliza dispositivos móveis. E por que não adaptar os cursos a esta realidade? Por isso, o Mobile Learning se mostra uma tendência importante para o futuro do EaD.

Também conhecida como m-learning, esta modalidade consiste na produção de conteúdos funcionarão bem nas telas de smartphones e tablets. Para funcionar, é imprescindível ter um ambiente de aprendizado compatível – seja com aplicativos, plataformas de conteúdo ou site de cursos com design responsivo.

Blended Learning

Apesar do conceito de ensino à distância ser sobre não precisar de um espaço físico para dar aulas, não é necessário usá-lo para cursos inteiramente presenciais. Isso é possível graças ao conceito de Blended Learning.

Podemos chamar esta modalidade de ensino híbrido ou b-learning. Como este formato mistura o ensino remoto com o presencial, ele oferece flexibilidade e conveniência – e, é claro, redução de custos.

Microlearning

Já que estamos falando de abordagens diferentes que são o futuro do EaD, vale apontar para o Microlearning. Esta modalidade oferece cursos de curta duração, com conteúdos de até cinco minutos focados em uma única especialidade.

Além de ser uma solução rápida e eficiente, o m-learning é ótimo para garantir o foco do aluno. Por ser mais simples de produzir, diminui custos enquanto se mantém personalizável e acessível.

Vender cursos na internet

E como o assunto é o futuro do ensino à distância, não podemos deixar de fora a principal tendência: a de vender cursos na internet. Este nicho pode ser explorado não só por instituições de ensino, mas também produtores de conteúdo e empreendedores digitais.

Para isso, pode-se usar plataformas de conteúdo digital para disponibilizar os conteúdos do seu curso e monetizá-los. Sites de cursos são uma boa opção para quem está começando, apesar de ser necessário pagar uma porcentagem de seus ganhos para a plataforma.

Mas esta não a única opção para ganhar dinheiro com o EaD. Caso seu objetivo seja não depender de algoritmos e regras de monetização definidos pelos outros, ter a própria plataforma de cursos online é uma solução atrativa.

Entre as principais opções do mercado está a Netshow.me OTT. Com ela, você pode usar vários tipos de conteúdos como vídeos, podcasts e e-books, além de fazer transmissões ao vivo. Tudo isso com acesso a relatórios de desempenho completos de seus alunos.

Quer se vender cursos online e se beneficiar com esta solução que é o futuro do EaD? Fale com um de nossos especialistas e saiba como!

banner-ott

Sem tags cadastradas

Escrito por Gabriele Gonçalo