Dicas e Tutoriais

Como proteger seus dados e usar o Zoom com segurança?

Índice deste artigo:1 Aprenda a usar o Zoom com segurança e evitar as brechas descobertas na plataforma de videoconferência.1.1 O que é o Zoom?1.2 Quais os problemas de segurança do Zoom?1.2.1 1. Phishing1.2.2 2. Zoombombing1.3 Qual a posição do Zoom sobre os problemas de segurança?1.4 Como usar o Zoom de maneira segura?1.4.1 1. Baixe o … Continuar lendo Como proteger seus dados e usar o Zoom com segurança?

Escrito por Gabriele Gonçalo em 23 abr 2020 | Atualizado em 30 abr 2020

Compartilhar no FacebookCompartilhar no FacebookCompartilhar no Twitter

Aprenda a usar o Zoom com segurança e evitar as brechas descobertas na plataforma de videoconferência.

As medidas de combate ao novo coronavírus alavancaram o uso das ferramentas de videoconferência. Seja para manter contato com entes queridos ou fazer reuniões de trabalho durante o período de quarentena, o recurso se tornou uma solução ainda mais atrativa para a comunicação online.

No entanto, a principal ferramenta para webmeetings disponível no mercado levantou questionamentos pertinentes referentes à proteção dos dados dos usuários. Quando falamos deste assunto, a principal preocupação dos usuários se tornou como usar o Zoom com segurança – afinal, a plataforma teve algumas falhas neste sentido evidenciadas durante a quarentena.

Neste artigo, você pode conferir o que é o Zoom, as brechas de segurança descobertas na ferramenta e o posicionamento da plataforma para resolvê-las. Além disso, separamos algumas dicas para você transmitir sua reunião com segurança e qualidade. Vamos lá?

O que é o Zoom?

O Zoom é uma plataforma de videoconferência amplamente difundida no mercado. Nela, todos os participantes podem interagir por meio de vídeo e áudio e até compartilhar o conteúdo de suas telas.

Com suporte a até 500 usuários na mesma sala, a plataforma pode ser utilizada gratuitamente. Além disso, ela está disponível nos principais sistemas operacionais – desktops com Windows, Linux e Mac são compatíveis, além dispositivos móveis com iOs e Android.

Por se tratar da opção com suporte a mais pessoas simultâneas disponível, o Zoom se valorizou no mercado. Quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou a pandemia do novo coronavírus, a startup americana caminhava na contramão do mercado e acumulava valorização de 60% no ano.

O Zoom teve um crescimento muito acima do esperado também na base de usuários. De 10 milhões de usuários diários em dezembro, a ferramenta pulou para 200 milhões de pessoas a utilizando por dia em meio à crise sanitária causada pela Covid-19.

Quais os problemas de segurança do Zoom?

Apesar desta valorização nas ações da empresa e sua difusão ainda maior no mercado, o Zoom chamou a atenção de pessoas mal intencionadas. Hackers passaram a se aproveitar de brechas de segurança na plataforma para aplicar golpes nos internautas.

São dois problemas seríssimos que podem gerar muita dor de cabeça se você não tomar precauções. A seguir, detalhamos ambas as falhas para você entender a gravidade da situação:

1. Phishing

Você sabe o que é phishing? Esta prática consiste no uso de sites falsos para “pescar” dados pessoais do internauta. Ela é feita através de páginas que fazem a pessoa clicar em anúncios e até fazer o download de malwares, ou seja, programas maliciosos.

Assim, é possível que eles capturem informações como dados bancários, senhas e até acessos de redes sociais – vale ressaltar que o Zoom permite o login também pelo Google e o Facebook. Ou seja, suas informações podem ser fisgadas se você não se precaver.

Segundo estudo da empresa de segurança digital Check Point, foram registrados mais de 1,7 mil domínios com a palavra Zoom desde janeiro. Entre eles, estão sites com o intuito de realizar phishing – cerca de 4%, quantidade que pode parecer baixa, mas mesmo assim representa perigo.

Como identificá-los? Páginas maliciosas costumam ter a grafia levemente alterada para enganar internautas despercebidos e os induzirem a baixar instaladores falsos do programa – assim, conseguindo autorização para roubar os dados que desejarem. Portanto, fique de olho para não cair neste golpe!

2. Zoombombing

Outro problema de segurança sério enfrentado pela ferramenta é o zoombombing, ou seja, o ato de alguém invadir a videoconferência e prejudicá-la. Como? Exibindo conteúdos pornográficos, racistas e até ameaças aos participantes da sala.

Outro ponto desta falha de segurança é o fato desta invasão de privacidade também possibilitar o acesso a informações sigilosas. Afinal de contas, o penetra pode acompanhar todo o conteúdo da reunião e até capturar a tela se quiser. Desagradável, né?

Isso acontece porque as salas podem ser acessadas através de uma URL curta com letras e números. Segundo o já citado estudo da Check Point, esses links podem ser facilmente gerados e adivinhados por hackers.

Aliás, trata-se de algo também causado pela criptografia de dados utilizada pelo Zoom, ou seja, a proteção dos dados disponibilizados na plataforma. Segundo reportagem do Intercept, o software usa o tipo de transporte, ou seja, as informações podem ser acessadas pelos desenvolvedores.

O próprio Zoom alegava utilizar o tipo de ponta-a-ponta, com conversas acessíveis somente aos envolvidos. Com a crise de proteção de dados na ferramenta, a plataforma detalhou como seus dados são criptografados para reuniões e webinars e negou o que seus funcionários tenham acesso a estes dados.

Qual a posição do Zoom sobre os problemas de segurança?

Como se pode esperar, estas brechas impactaram a imagem do Zoom de maneira negativa. Organizações como Space X, FBI e Anvisa proibiram seus funcionários de utilizarem a plataforma durante o expediente.

Por isso, o Zoom está constantemente anunciando novas medidas de segurança. Segundo eles, o crescimento maior do que o esperado do número de usuários escancarou alguns cenários imprevistos pela equipe de desenvolvedores.

Assim, a plataforma prometeu garantir privacidade, segurança e proteção a todos os seus usuários. Entre as medidas anunciadas estão a formação de um Conselho de Diretores de Segurança da Informação e a contratação de Alex Stamos para revisar as medidas de cibersegurança do Zoom – ele é o ex-chefe de segurança do Facebook.

Todas as informações pertinentes serão disponibilizadas no blog oficial do Zoom, numa campanha para ensinar as boas práticas da plataforma. Além de disponibilizar estes conteúdos informativos para ajudar os usuários, há uma promessa: resolver estes problemas de proteção de dados em até 90 dias.

Como usar o Zoom de maneira segura?

Apesar das falhas de segurança descobertas e combatidas pela plataforma, o Zoom se mantém como uma alternativa importante por oferecer melhores funcionalidades para a sua videoconferência. Pensando nisso, existe uma cartilha de cuidados a serem tomados que vão evitar que você caia nas garras dos famigerados hackers. Confira a seguir:

1. Baixe o aplicativo em lojas oficiais

Antes de tudo, é importante se certificar de fazer o download do Zoom através de canais oficiais. Além das lojas de aplicativos nos dispositivos móveis, é possível fazê-lo no site oficial da ferramenta. Desta forma, você não estará suscetível a ser vítima de phishing.

2. Mantenha o aplicativo atualizado

Outra precaução importante é manter o aplicativo atualizado. Ao fazê-lo, você terá acesso à versão mais robusta disponível e com as mais recentes correções feitas pelos desenvolvedores. Assim, você se certificará que a sua videoconferência será feita de maneira mais segura.

3. Tenha um software antivírus

Também é importante utilizar um software de segurança instalado no seu dispositivo para contornar possíveis infecções por malwares. Isso ajudará na defesa do seu sistema e existem boas opções como Avast, Bytefence e McAfee para o desktop. No caso dos dispositivos móveis você pode usar AVG, Kaspersky Mobile e Avast Mobile – sim, também existem programas antivírus para eles.

Banner-livecompleto

4. Use salas privadas

No Zoom, é possível criar salas públicas e permitir o acesso de qualquer usuário através de um link. No entanto, a solução mais segura para a sua videoconferência é o uso de salas privadas – só entra quem você permitir.

Para explicar como isso é melhor, vale falar sobre como o zoom funciona. O software usa um tipo de identificador bem parecido a um número de telefone e cada usuário possui o próprio – o nome disso é Personal Meeting ID (PMI).

Ou seja, a dinâmica é bem semelhante a uma ligação de telefone. Quem tiver seu PMI pode se juntar a qualquer sala que você organizar, o que pode ser bem inconveniente. Mas não tema: isso pode ser evitado.

O Zoom permite a criação de um PMI aleatório, que pode ser usado numa única vez. Você deve ir em Schedule Meeting e, no campo Meeting ID, deve marcar a opção Generated Automatically. Assim, você usará este identificador somente nesta sala e terá sua privacidade respeitada.

Como você pode evitar a entrada de convidados indesejados na sua videoconferência? Além de mantê-la privada, é possível usar outro recurso para isso: a sala de espera. Nela, todos os contatos precisam esperar a sua autorização para efetivamente entrarem na reunião.

Esta funcionalidade é usada automaticamente em meetings agendadas pelo Schedule a Meeting. Entre as medidas de anunciadas pelo Zoom para sanar as brechas de segurança, está o uso deste recurso em todas as reuniões realizadas na plataforma.

5. Defina qual parte da sua tela compartilhar

Antes iniciar sua transmissão, existem algumas opções de compartilhamento a serem observadas. Você escolhe o que será exibido aos participantes e é importante ter esta precaução. Assim, será possível exibir somente parte da sua tela.

Para isso, selecione Share Screen e vá na aba Advanced. Na janela seguinte, clique em Portion of Screen e a ferramenta abrirá uma caixa de seleção. Dimensione ela para mostrar as partes da tela que você desejar mostrar – assim, ocultando abas do navegador e até ícones na área de trabalho.

Aliás, vale ressaltar que na própria aba Advanced é possível escolher transmitir somente por meio de som na opção Music or Computer Sound Only ou só a imagem de sua câmera através do item Content From 2nd Camera.

6. Desligue a câmera e o microfone do seu dispositivo

Além de poder definir o que você deseja compartilhar na sua webmeeting, outra possibilidade permitida pelo Zoom é a de desativar a câmera e o microfone. Além de fazê-lo durante a apresentação, você pode estabelecer que eles sempre estarão desligados ao entrar numa sala.

Para isso, acesse as configurações e vá no ícone de engrenagem abaixo de sua foto de exibição. Você precisará acessar duas abas no menu seguinte. Em Audio, selecione Mute My Microphone When Joining A Meeting. Já em Video, marque Turn Off My Video When Joining A Meeting.

Como proteger seus dados e usar o Zoom com segurança?

7. Ative restrições para aos participantes

Continuando nosso tutorial, é possível aplicar restrições a todos os participantes de sua reunião. Por exemplo, você pode definir quem poderá compartilhar a própria tela e enviar arquivos aos outros participantes. Além disso, dá para bloquear o envio de áudio e vídeo dos usuários durante a videoconferência e evitar o zoombombing.

Outra possibilidade restritiva é o bloqueio de salas após o início da reunião – isso mesmo se o usuário possuir a senha de acesso. Para isso, clique em Participantes, na parte inferior da janela, e selecione Bloquear Reunião.

Como proteger seus dados e usar o Zoom com segurança?

Caso mesmo assim você tenha algum usuário que você deseje retirar da sala, vá na mesma aba Participantes e passe o cursor nome da pessoa. Nas opções que aparecerão, clique em Remover.

Como proteger seus dados e usar o Zoom com segurança?

Incorpore sua videoconferência a uma live streaming

Esta série de cuidados permitirá a realização de sua transmissão de maneira segura, com todos as informações protegidas. Com o Zoom, você poderá desfrutar da solução mais completa no nicho e adaptá-la à sua necessidade.

Ao usar esta plataforma de maneira segura, você também pode incorporá-la a uma transmissão ao vivo profissional. Assim, dá para adicionar participantes espalhados ao redor do mundo na sua live.

Apesar de normalmente serem confundidas, videoconferência e live streaming são duas coisas diferentes – afinal, cada uma possui abordagem própria e tipos diferentes de interação. Com o objetivo de transmitir o vídeo de pessoas em diferentes localidades, as plataformas de transmissão ao vivo profissional permitem que você incorpore uma webmeeting ao conteúdo exibido para o público.

Como mencionado anteriormente, o Zoom é a ferramenta de videoconferência mais completa disponível no mercado. Trata-se de um software cujas transmissões podem ser embedadas à sua transmissão em plataformas como a Netshow.me Live – tudo isso com segurança e o know-how de quem entende do assunto. Quer saber mais? Fale com um de nossos especialistas!

Escrito por Gabriele Gonçalo