Dicas e Tutoriais

Como fazer uma LinkedIn Live?

Índice deste artigo:1 As transmissões ao vivo chegaram à maior rede social profissional do mercado. Aprenda a usar o recurso LinkedIn Live.1.1 Como fazer uma LinkedIn Live?1.2 Quem pode fazer live no LinkedIn?1.3 Vantagens de fazer uma live no LinkedIn1.4 Quais conteúdos podem ser transmitidos no LinkedIn?1.5 Boas práticas para a live no LinkedIn1.5.1 1. … Continuar lendo Como fazer uma LinkedIn Live?

Escrito por Gabriele Gonçalo em 21 mai 2020 | Atualizado em 28 mai 2020

Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Facebook
Compartilhar no Twitter

As transmissões ao vivo chegaram à maior rede social profissional do mercado. Aprenda a usar o recurso LinkedIn Live.

Não é nenhum segredo que as transmissões ao vivo são uma tendência cada vez mais forte nas redes sociais. Usado de maneira bem sucedida em ferramentas como Facebook, Twitter e Instagram, o recurso finalmente chegou à maior plataforma de networking online.

Disponibilizado em 2019, o LinkedIn Live abre novas possibilidades para produção de conteúdo na rede social. Antes de começar, vale ressaltar o fato de nem todo usuário poder fazer uma live no LinkedIn – é necessário obter autorização da plataforma. 

A seguir, você pode conferir por que o LinkedIn é uma opção interessante para a sua live e como conseguir liberação para utilizar o recurso. Além disso, este artigo detalha quais os tipos de conteúdos permitidos e como se dar bem fazendo lives na plataforma. Vamos nessa?

Como fazer uma LinkedIn Live?

O LinkedIn Live possui algumas especificações técnicas que você precisa ficar de olho antes de fazer a sua transmissão. No que diz respeito à duração, você poderá fazer uma live de 20 minutos a até 4 horas.

Ao falarmos da imagem, é necessário que ela tenha a resolução de 16:9 – outras proporções não são permitidas. Já a qualidade HD precisa ser de 1080p e 30fps, com outras possibilidades a serem disponibilizadas em futuras atualizações do recurso.

Entre os equipamentos necessários estão câmera, tripé, microfone e iluminação. Além disso, é necessário ter uma conexão de internet rápida e estável para impedir travamentos na sua live. Por isso, uma opção interessante é contratar um link dedicado – e, caso julgue necessário, uma equipe de produção de vídeo profissional.

Por enquanto, não existe a possibilidade de usar o LinkedIn Live sem um encoder profissional, ou seja, um software que converterá os dados da transmissão e os repassará para a plataforma. Existe uma uma lista de programas compatíveis e as configurações necessárias.

Quem pode fazer live no LinkedIn?

O LinkedIn Live foi anunciado em 2019 e todos os usuários podem desfrutar das transmissões ao vivo disponibilizadas na plataforma – seja no desktop ou em dispositivos móveis.

No entanto, fazer uma transmissão ao vivo não é algo permitido a todos os usuários. Apesar de ser uma opção aberta tanto a páginas pessoais ou company pages, é necessário pedir autorização à plataforma. Para isso, basta preencher um formulário solicitando o acesso.

Após fornecer as informações solicitadas, basta esperar um e-mail de confirmação. Como existe um grande volume de usuários interessados no recurso, esta mensagem só será enviada em caso de aprovação.

Vantagens de fazer uma live no LinkedIn

No momento de pensar em qual plataforma usar para fazer a sua live é necessário ter duas coisas bem definidas: seu objetivo e qual público você pretende atingir. Por quê? Todas as opções de ferramentas para transmissão ao vivo possuem valor estratégico e, por isso, este conhecimento te ajudará a decidir qual é a mais adequada.

No caso do LinkedIn, trata-se de uma rede social com mais de 600 milhões de usuários em mais de 200 países. Falando em âmbito nacional, o Brasil possui mais de 41 milhões de pessoas na plataforma. Número considerável, né?

Estamos falando da maior plataforma de networking disponível na internet. O LinkedIn não é só um meio para disponibilizar seu currículo online e procurar vagas de trabalho. Lá, é possível fortalecer a marca pessoal, compartilhar conteúdos voltados ao desenvolvimento profissional e ampliar a rede de contatos do usuário.

A diversidade de utilidades do LinkedIn o posiciona como uma ferramenta de grandíssima utilidade para os negócios. Quando falamos no âmbito B2B, ou seja, de empresa a empresa, a plataforma é 277% mais eficaz na geração de leads do que o Facebook e o Twitter – os dados são de uma pesquisa do Hubspot.

E não é só isso!  Confira algumas estatísticas promissores fornecidos pelo próprio LinkedIn:

  • 94% dos profissionais de marketing o usam para compartilhar conteúdo;
  • 46% das visitas a sites de empresas vindos de mídias sociais são via LinkedIn;
  • 80% dos leads captados em redes sociais são colhidos lá;
  • Para 73% dos profissionais de marketing, o vídeo possui influência positiva no ROI (Retorno Sobre Investimento)
  • Vídeos possuem um número de impressões 30% maior do que outras publicações na plataforma;
  • 62% das empresas pretendem adotar transmissões ao vivo.

Quando falamos de transmissões ao vivo, o desempenho delas é melhor do que os vídeos previamente gravados. Segundo o LinkedIn, elas possuem engajamento expressivamente superior: além de receberem 7 vezes mais reações do público, o volume de comentários é 24 vezes maior.

Como fazer uma LinkedIn Live?

Quais conteúdos podem ser transmitidos no LinkedIn?

O LinkedIn Live segue regras rigorosas de quais conteúdos podem ser transmitidos. Desta forma, é obrigatório que as transmissões foquem em vídeos sobre carreira e desenvolvimento profissional. Segundo a própria plataforma, é um paradigma baseado em hierarquias, cargos e funções.

Desta forma, qualquer tipo de conteúdo que siga estas diretrizes será bem-vindo no LinkedIn. Entre eles, é possível sessões de perguntas, transmissões de eventos corporativos, anúncios de produtos, entrevistas, vídeos de bastidores e até anúncios de produtos.

Segundo a própria rede social, é importante usar o LinkedIn Live como um canal para transmitir ideias de conteúdos existentes. Ou seja, o recurso é destinado a quem possui experiência com lives. Desta forma, uma dica valiosa é utilizar outras plataformas como laboratório até você começar a criar materiais específicos para o LinkedIn.

E quando você estiver produzindo estes conteúdos, é possível acompanhar o desempenho deles através de métricas disponibilizadas no LinkedIn Live. Entre as tradicionais de engajamento e visualização do conteúdo, você terá acesso aos cargos, localidades e páginas dos usuários – e são dados que serão úteis para a sua estratégia.

Boas práticas para a live no LinkedIn

Depois de ler sobre os tipos de conteúdos que podem ser transmitidos ao vivo na plataforma e todas questões técnicas pertinentes. Mas cuidado: para se dar bem fazendo lives no LinkedIn é necessário seguir algumas boas práticas. A seguir, você pode conferir alguns cuidados a serem seguidos antes de botar a mão na massa:

1. Prepare seu conteúdo com antecedência

Antes de entrar ao vivo, é importante planejar o conteúdo da sua live com antecedência. Pense nos tópicos que serão abordados, pesquise e separe dados que possam ser utilizados. Caso você vá contar com outros participantes, uma sugestão é conversar com todos para acertar todos os detalhes da transmissão.

2. Saiba como se portar em frente à câmera

Outra preocupação pertinente é como falar bem no vídeo. Existem alguns cuidados importantes para que a sua live tenha um conteúdo que gera valor ao público e seja bem sucedida.

Se preocupe em manter o foco na transmissão, treine o conteúdo preparado na etapa anterior e não esqueça da autenticidade. Utilizar o bom e velho storytelling é uma ótima tática, além de cuidar da sua linguagem corporal e da sua aparência.

Como estamos falando de conteúdo ao vivo, é imprescindível que você não esqueça de torná-lo interativo. Veja o que o público está comentando e interaja com estas pessoas. Aliás, tenha em mente a importância de ser flexível e improvisar quando necessário – principalmente em caso de algum problema técnico.

3. Teste os equipamentos antes de entrar ao vivo

E para evitar que as eventuais falhas técnicas prejudiquem o andamento da sua live, é importante testar todos os equipamentos antes de entrar ao vivo. Além disso, verifique se o encoder está funcionando direitinho para evitar problemas na grande hora. Outra etapa essencial é fazer um teste de velocidade na sua conexão de internet – o mínimo necessário é 10 Mbps de upload, ou seja, envio de dados à rede.

4. Planeje a duração da sua live

Quando você começa uma transmissão ao vivo no LinkedIn Live, a plataforma envia uma notificação à sua rede de contatos. Assim, estes usuários serão avisados e poderão entrar na sua live quando ela começar. Como nem todos entrarão instantaneamente, é bom não ir com muita sede ao pote!

A recomendação da ferramenta é que você se prepare para fazer uma live de pelo menos 15 minutos. Desta forma, tenha em mente o fato de que sua audiência provavelmente aumentará durante a transmissão e um vídeo curto pode não ter um resultado tão eficiente.

5. Divulgue sua live com antecedência

Apesar do LinkedIn enviar notificações aos seus seguidores quando a transmissão começa, não esqueça de divulgá-la com antecedência. Além de fazer postagens no próprio LinkedIn, o faça em outras redes sociais, por e-mail marketing e todos os meios que façam sentido para o seu público.

Para fazer esta divulgação ser efetiva, é importante ter em mente uma sigla antes de escrevê-la: SEO. Ou seja, deve-se produzi-la de maneira otimizada aos motores de busca. Isso permitirá que seu conteúdo seja encontrado com maior facilidade. Vale ressaltar que todas as ferramentas precisam seguir estas regras, inclusive o LinkedIn.

Para potencializar esta divulgação, use a técnica do copywriting. Ela consiste em escrever conteúdo para converter de maneira tão boa que todos vão querer copiá-la. Para isso, é necessário usar gatilhos mentais para atrair seu público. Não é fácil, mas gera resultados.

6. Analise o desempenho da sua live

Não pense que o trabalho acaba quando você conclui a gravação. Como mencionado anteriormente, o LinkedIn Live oferece métricas detalhadas para você analisar seu público. Assim, você poderá usar o mindset do Growth Hacker para avaliar o desempenho de sua transmissão e fazer testes com novas datas, durações e formatos. Desta forma, será ainda mais fácil se dar bem fazendo lives no LinkedIn.

banner-flow

Escrito por Gabriele Gonçalo